28 de maio de 2017

Odeio quando bate a bad.
Cada vez ela vem mais forte.

Tô sem forças. Gastei as últimas não indo atrás.
Tô sem esperanças.
Gastei as últimas esperando você voltar


Insira aqui a letra de Dom Quixote

Eu tenho medo de um dia a sanidade deixar a loucura falar mais alto.

Hoje dói.
Hoje eu respiro fundo e ainda assim não consigo ver esperanças.

Hoje...

Hoje tudo o que eu queria era ouvir sua voz.


Gogh, Turing, Wolf, Vargas, Hemingway, Espanca, Plath, Curtis, Cobain, Carter, Lopes, Chagas, Williams, Cornell.
Não quero ser mais um sobrenome.

26 de maio de 2017

Carta a uma bocó

Eu tentei de todas as formas fazer você ficar.
Pedi. Insisti. Implorei.
Mas eu não tenho como fazer que isso aconteça.
Se você quer ir, então vá.
Não é o que eu quero, não é o que eu espero.
Eu sempre te deixei livre, sempre esperei que você fizesse o que você bem entendesse e sempre acreditei que o amor não é prisão.
Eu nunca te privei. Ou nunca quis privar de nada.
Egoísmo da minha parte olhar só pro que eu sinto. Ainda que eu não saiba o que você sente ou pensa.
Estou firme no propósito de não ir atrás. De não forçar você a ficar ou me deixar ficar por perto.
Se você vem até aqui pra ler isso, aí são outros quinhentos. Não sou eu quem vai atrás de você e se você vem é porque quer.
Acho estranho.
Talvez você venha aqui pra rir. Pra ver como é idiota da minha parte essa relação boba que eu tenho com o que eu sinto.
Talvez você venha e me ache idiota, como depois de tanta coisa essa menina ainda gosta tanto de mim, deve pensar você.
Talvez você venha até aqui porque você se preocupa e vê aqui um maneira indireta de saber se eu estou bem ou não.

Eu tô bem. Só estou chateada. E essa chateação não vai passar. Mas tudo bem.

Eu acho estranho que você venha até aqui em vez de falar comigo. Acho ruim.
Porque se você, de alguma forma, se interessa você tem total liberdade de estar presente na minha vida.

Sabe, eu amo meus amigos. Quando eu ainda digo que te amo é o carinho que ficou, o respeito.
Eu cheguei a te contar que me envolvi com outras pessoas, cometi alguns erros com outras pessoas, mas deixo meu coração livre pra gostar de outras pessoas. Antes era diferente, eu sei disso e você também. Antes eu estava como um cavalo, que com freios, só enxerga o que está na frente... E eu só via você. Única e exclusivamente.
Assim como o que eu sinto por você é único.
Sabe, eu tô deixando você ir embora. Ir embora das minhas memórias. É isso o que você decidiu. E eu respeito.
Com lagrimas nos olhos, obviamente. Eu deixo você ir e espero que um dia você volte, volte e diga: chatinha, você é/foi minha melhor amiga, não quero te perder.

Ou algo do tipo. Ou nem fala nada, só me manda uma música e diz que estava pensando em mim.
Dói deixar ir.
Ainda assim eu estou deixando...

Ainda espero um livro, com algumas palavras rabiscadas dentro.

Um beijo e até um dia.