9 de julho de 2008

Dosar a dose... (e acertar o passo)

Essa semana em uma entrevista para trabalhar, meu futuro chefe perguntou: "Você bebe?", sem ao menos titubear por um instante respondi: "Bebo".

Ele ficou no mínimo admirado. Uai, fazer o quê? Eu bebo mesmo. E mais, gosto de beber. Gosto por N motivos. Aliás nada melhor que no final do expediente em uma sexta-feira quente passar no boteco mais próximo para "molhar a guela" com o admirado líquido dourado junto com os amigos (e invariavelmente continuar falando sobre trabalho).

Mas até esse direito me tiraram. Tudo bem que muitos acidentes acontecem por conta de bebidas, mas me diga: Que quantidade haviam bebido esses seres desprovidos de massa encefálica, antes desses desastres acontecerem? Por conta destes e de outros que não morreram em acidentes, mas mataram ou acidentaram alguém, eu Priscila Souza, que sempre respeitei meus limites, e quando não os respeitei pedi para que alguém pegasse o volante (vide minha Festa dos 100 dias) sou agora impedida de confratenizar da maneira como sempre fiz.

Sei lá... Parece que agora ficou tudo mais difícil.
Então dizem por aí para revezar direção com os amigos. Aí é que tá: quem não bebe, geralmente não gosta de sair pra beber, ou simplesmente não tem habilitação.

Não era necessário diminuir a quantidade permitida, porque até mesmo para esta não havia fiscalização decente. Era necessário apenas fiscalizar. E só.

Agora eu fico com cara de tacho. Não tenho irmãos, aqui em casa só quem dirige sou eu.
Táxi é caro, e o transporte público quando não está em greve, não funciona 24 horas.
"Churras" de família regados à cerveja? Festas? Baladas? Só com refri (que dá celulite) ou com muita sorte um suco.

É fato que a bebida é legal. É só saber dosar. Pesquisas confirmam isso. Vinho que pode ajudar o coração, cerveja que previne o câncer...

Se ao menos houvesse alternativas para transporte, mas nem isso há.

É tudo tão precário.

O Brasil tem a mania de imitar países de primeiro mundo e achar que aqui também vai dar certo.

Antes porém nossos governantes deveriam se preocupar é com as necessidades básicas: tanto lugar aí sem saneamento básico, sem ter saúde em boas condições, isso porque não quero nem citar o Estado que continua lindo, lindo de morrer. Pena que nesse caso é morrer literalmente.



----------------
Now playing: Shakira - The One
via FoxyTunes

Acesse também: fotolog.com/psouva

3 comentários:

  1. �. eu de admitir que teu post fez eu repensar na minha dura opini�o. este � o bom do pessoal do TDB... faz a gente pensar e repensar no que escreveu.
    sou firme e forte na minha opini�o.. mas voc� colocou pontos em quest�o que fizeram eu pensar mais flexivelmente... parab�ns, guria!

    ResponderExcluir
  2. Pri, adorei!
    "O Brasil tem a mania de imitar países de primeiro mundo e achar que aqui também vai dar certo."
    Pois é!!
    Meu, não duvido que essa lei vigore por mais 2 meses! hahaha

    ResponderExcluir
  3. Uau, adorei :9'
    Obrigada pelo comentário e pela doce visita.
    Gostei, volto mais vezes aqui (:
    Beijos'

    ResponderExcluir