4 de setembro de 2008

Adolescente aos 23...

Acho que poucas vezes fiquei tão ansiosa quanto hoje.

Me sentindo adolescente de verdade. Aliás: existe adolescente de mentira? Ah, deve existir sim senhor, até porque se não existissem não haveriam essas senhoras e senhores com 50 anos ou mais que se acham os reis da cocada preta e ousam mascarar com N coisas a idade, que na minha opinião, só traz sabedoria.

Enfim, voltando ao assunto (cara como estou voando hoje): Estou me sentindo o ser mais inseguro da face da terra. Eu não sou, me desculpe o palavreado, "fodona" como muita gente imagina. Mas sempre fui segura de mim.

Quer dizer...Até hoje.

Parece que estou entrando para o meu primeiro emprego. Quando na verdade sou (cóf cóf) profissional há dois anos. É estranho começar de novo. E dessa vez não sou estagiária. Ou seja: ou provo minha competência (será que sou? será que tenho?) ou bye bye Priscila, sem chance de erros.

Tá, eu sei que estou fazendo um pouco de drama e que não é pra tanto. Mas poxa. "comandar" (cóf cóf, quem vê pensa...) um laboratório de uma Universidade, conhecer alunos, professores, uma infinidade de pessoas assim de uma vez, é meio assustador. Ou está se tornando. A questão não é ser tímida ou coisa parecida, ou ser aceita... a questão é que eu entrei numa crise tipo: dormi adolescente, acordei adulta... Ou algo parecido. Eu me acho tão... tão... tão jovem(?), tão sem experiência(?)

Fui convidada a trabalhar por uma ex-professora. Isso significa: mais peso em cima das minhas costas. Acho que no fundo o que eu quero é não desapontar. E ponto.

Definitivamente estou me sentindo adolescente em primeiro dia de trabalho. Mãos suando, ansiedade, princípio de gastrite e tudo mais a que se tem direito.

Até uma simples ligação hoje me deixou assim... Sem saber direito o que dizer... (L)

Enfim, me resta ir lá e viver e não ficar antecipando possíveis acontecimentos...

Um comentário: