21 de setembro de 2008

Pelo direito de ficar em cima do muro

Hoje em dia todo mundo leva uma bandeira. Os vegetarianos (nada contra), os carnívoros (nada contra também), os gays, lésbicas, bissexuais, travestis, transgêneros. Há também os politicamente corretos, os que bebem, os que não bebem, os "micareteiros", os "raveiros", os "botequeiros" (não confunda com boqueteiros ok?), enfim todo o tipo de separações possíveis.

Eu meio que sou contra tudo isso. Sou contra tantas divisões. Não contra as divisões em si, mas contra a radicalidade destas. É tanta cobrança em cima daquilo que você é, de você sempre ter que tomar uma posição, escolher um lado.

Eu gosto de ficar em cima do muro. De ver os dois lados. E depois quem sabe... escolher. Acredito que o ser humano é inconstante; e a vida cheia de mudanças, e se for pra carregar uma bandeira e depois mudar, o nosso presidente que o diga, prefiro continuar em cima do muro.

7 comentários:

  1. Ah, eu gosto de sempre levar uma bandeira. Analiso bem antes, vejo se convém com minhas idéias e concepções para, aí sim, erguê-la.
    :)
    Não fico erguendo nada à toa. hahahaa
    =P

    ResponderExcluir
  2. pelo direito de ser tudo ao mesmo tempo. eheheheh

    ResponderExcluir
  3. se eu me identifico mesmo, eu grito e visto a camisa. mas se nao me agrada, fico quieto esperando algo que eu me identifique.
    e, sim, é muito bom poder nao escolher

    ResponderExcluir
  4. É, pensando assim também não sou de causas e bandeiras, sou simplesmente de ter algumas crenças e umas poucas tentativas de trazê-las pra vida real...
    Mas não precisa ser sempre radical. Dá pra gente lutar pelo que acredita sendo como a Emily comentou: tudo ao mesmo tempo!

    ResponderExcluir
  5. @Lívia eu juro que ia fazer uma piadinha infâme "erguer nada a toa" aham sei.... rs...

    @Emily to contigo e não abro!

    @Afonso, não escolher às vezes é melhor que ter todo o poder de decisão

    @Emi, acho que estou meio sem sal com relação à atitudes...

    ResponderExcluir
  6. Olha...
    Eu concordo.
    Dizem que a gente não pode ser muito eclético, que "ser eclético" é não ter personalidade.
    Eu acho o contrário. Vc tem que ter muita personalidade pra se confessar em cima do muro. Pra ter sua fase "micareteira", "raivera", "rockeira"...
    A questão é: O importante é ser vc.

    ResponderExcluir
  7. Gostei desse post..

    Não fecho minhas decisões, deixo elas abertas para conhecer coisas novas e, como diz meu pai, enxer minha bagagem!
    Desde que nasci carrego comigo uma mala vazia, e guardo minhas experiências nela.
    Por isso eu não sou emo, hippie, alternativa, nem normal.
    Eu sou eu, um mix de tudo que conheço com o que ainda vou conhecer!

    ResponderExcluir