24 de novembro de 2008

Paixão por palavras

Share this post :

Não sei se fiz jornalismo pela busca de uma profissão onde eu pudesse sempre fazer perguntas e aprender um pouco mais sobre tudo, ou se fiz porque tenho uma certa paixão pelas palavras.

Acho que por gostar tanto do resultado da soma de letras, sílabas, todas essas coisas que respresentam os fonemas sempre gostei de pessoas comunicativas. Mesmo aquelas que não falam muito, mas que tem o dom de conversar com gestos ou com os olhos.

Me deparar com alguém de poucas palavras é uma experiência um tanto quanto inusitada. É me deixar com uma pulga atrás da orelha e um ponto de interrogação sobre a cabeça. Sempre fui transparente ou tentei ser. Mesmo que por diversas vezes eu tenha me fechado e construído um muro de Berlin ao redor de mim.

O silêncio me atrai. Vejo nele um mistério a ser desvendado. Gosto de descobrir as pessoas. Tudo bem que às vezes acho que eu sei mais sobre a pessoa do que ela mesma, ou eu me equivoque nas minhas conclusões e descubra que, no fundo, eu não sabia era de nada.

O fato é que às vezes eu tenho medo. Medo pela minha curiosidade e medo pela minha imaginação. Medo porque posso perguntar demais, e medo porque se eu não perguntar eu começo a deduzir.

Algo que sempre me incomodou é o fato que eu tenho consciência de que eu simplesmente penso demais. E meus pensamentos são como esse texto: prolixo.

Contudo, se há algo que eu realmente não posso negar é essa minha paixão por palavras, até porque pensamentos são simplesmente aquelas palavras que não foram ditas.

7 comentários:

  1. muito bom o texto, vejo todos os jornalistas com o mesmo receio(não digo nem 'medo') acho interessante a forma curiosa que a maioria se porta. faz parte da formação acaedêmica ser assim.

    e se atentando a um assunto em especial do eu texto, eu vejo a prolixidade como sendo amada e odiada, eu adoro, e quando posso procuro escrever linguiças e rodear um assunto sem concluir nada, faço muito disso em algumas provas teóricas da faculdade(faço eng. ambiental) e engano bem os professores, acho que o don de se dominar as palavras e fazer a cabeça de quem lê perder-se em meio a tanta coisa inútil é uma característica positiva de quem a tem.

    ResponderExcluir
  2. Seu texto me lembrou essa frase da Clarice, "a palavra é meu domínio sobre o mundo"...

    Acho muito bons seus textos!
    Tem um selinho de presente pra você lá no blog [http://patriciapirota.blogspot.com/2008/11/selo-presentinho.html], espero que goste.
    o/

    ResponderExcluir
  3. Pensar demais.
    Talvez essa seja a causa dos meus "problemas"

    ResponderExcluir
  4. Gostei muito do teu texto =D

    Eu tinha vontade de fazer jornalismo, ou publicidade.. sou muito comunicativa e também amo palavras. As vezes eu penso tanta coisa ao mesmo tempo que tenho que escrevê-las pra organizar. Mas apesar de amar palavras e tudo mais, optei por outro caminho =D

    Texto muito legal!=D

    ResponderExcluir
  5. Oie..
    Ótimo texto.
    O medo faz parte de qualquer profissão.
    E no jornalismo ,não seria diferente ,né.
    Pq é uma profissão,comunicativa ,onde vc tem q saber bem o q fala.
    Mas por ser mt comunicatica ,acho q vc fez uma boa escolha.Jornalismo é uma profissão q etá totalmente ligada a comunicação.:)E pelo q vc falou vc gosta das palavras..Então vc está no caminho certo.
    Quem sabe vc tbm poderia ser escritora,q tbm é uma profissão q usa mt as palavras.

    bjOo

    ResponderExcluir
  6. Acho que o jornalismo é uma das profissões que mantêm as pessoas mais questionadoras. Adoro isso. Questionar e ser questionada. Eu tb amo as palavras e amo seduzir através delas. Eu sou publicitária rs

    Adorei o texto.

    Bjos.

    ResponderExcluir