31 de dezembro de 2008

Time to say goodbye

É! 2008 está no fim. o que vai ser agora? Não sei, não faço a mínima idéia.
De um ano pra cá o que será que mudou? Revi algumas coisas e vejo que algumas coisas mudaram. Percebi que sentir um vazio é algo de praxe em meus fins de ano.
Para hoje a noite é incerta. Tão incerta quanto as certezas que eu tinha e que se tornaram pó.

Pra 2009 registro alguns desejos:
  1. Voltar a malhar;
  2. Dormir mais cedo e dormir menos. Não sou uma ursa hibernando;
  3. Ler mais livros;
  4. Aprender uma nova língua;
  5. Ficar em paz com meu coração.

29 de dezembro de 2008

Eu prometo

Postar algo decente, antes do ano acabar!

23 de dezembro de 2008

Sobre uma segunda-feira de manhã

Uma segunda como tantas outras com pensamentos aleatórios como tantos outros. Dali a dois dias já seria Natal, embora ela ainda não estivesse no clima da ocasião.

Folheou então as páginas do livro que havia trazido para passar o tempo. A leitura embora interessante não conseguiu prende-la por muito tempo.

Na sala, apenas o ruído do computador a funcionar preenchia o ambiente. Esperava por mensagens no celular, esperava por mensagens no correio eletrônico, mas nem uma nem outra apareciam para preencher aquele vazio.

Desejou ter dinheiro para vijar. Desejou conhecer pessoas e lugares diferentes.

Sentiu falta de alguma música e por instante pensou em ligar a TV. Mas sabia que não haveria nada de interessante. O ambiente fechado e repleto de pó fez com espirrase: uma, duas, três, seis vezes seguida.

Olhou para o celular. Verificou novamente a caixa de emails. Nada de novo.

Trancou a porta e saiu para ver o sol.

22 de dezembro de 2008

Pulando. Ou saudade do Jump

Antes de começar a trabalhar eu contei neste mesmo blog, que você lê agora, sobre minhas aulas de jump. Eu havia pesquisado algumas coisas, num dos posts, por exemplo, publiquei que numa aula de Power Jump é possível perder até 500 calorias. Em outro post contei sobre as melhoras aeróbicas que eu havia notado.

Relendo esses posts hoje percebi que tenho sauade da época que estava cuidando melhor do meu corpo e que preciso voltar.

Além de me divertir tentando acompanhar as coreografias, era saudável estar sempre perto da minha irmãzinha de coração.

Mas o que pouca gente sabe é que por mais que muita gente chame apenas de Jump, há várias vertentes paras essas aulas em cima da cama elastica[bb].

Não existe somente o Jump, existem vários programas que englobam diversos exercícios em cima da cama elástica. O que eu praticava era o Power Jump, da Body Systems, que também desenvolve outros programas que você já deve ter ouvido falar como "BodyPump", "BodyJam" ou "BodyCombat"

Da concorrência você deve ter ouvido falar no Jump Fit, que eu não sei como funciona.

No Power Jump, as aulas começam com um aquecimento no solo, já com as músicas. O professor vai dando nome a cada padrão de movimento.

Depois de alguns minutos no solo subimos para os mini- trampolins, a sequência de exercícios vai mudando conforme muda a música. Algumas das músicas são remixes de músicas já conhecidas. Lembro que uma delas era um remix de Keysha Cole com Rihanna. Também lembro de dançar e exercitar-me ao som de Alexia. A intensidade sobe junto com as músicas. Impossível não sentir evolução nas pernas, principalmente as coxas. que ficam durinhas com poucas aulas.

Acho que em janeiro devo retornar para a academia. Se você tiver pique, aproveite o Power Jump como "aquecimento" e depois faça as séries de musculação. Retorno garantido.

20 de dezembro de 2008

Casulo

Borboleta pequenina, por mais bonita que seja precisa passar um tempo no casulo. Acho que estou precisando voltar para o meu. Ficar só, me isolar um pouco, e colocar as idéias e principalemente o coração em ordem; Até aí tudo bem, o problema é como comunicar isso ao universo ao meu redor. Não quero ser taxada de chata ou anti-social. Só acho que estou precisando de um tempo só para mim.

Então se caso eu voltar para o meu casulo, por favor, entenda. Preciso ficar livre para poder ficar em paz, para me achar, me refazer. Se caso eu sumir, se caso eu não responder no msn, é porque talvez eu esteja no meu casulo, me transformando, evoluindo, contribuindo com a minha metamorfose, amadurecendo por dentro e por fora.

18 de dezembro de 2008

Infinita Highway

Já dizia uma antiga paixão sobre mim: eu sou tão confusa que me confundo, e sendo assim lembro da música que dá título a este pequeno conjunto de palavras reunidas neste blog na data de hoje, porque no fundo no fundo "Minha vida é tão confusa quanto a América Central" e por isso faço, ou tento fazer, um trato "Você desliga o telefone se eu ficar muito abstrato..."

Engenheiros parece ditar toda a minha vida hoje, parece que estou pagando "meus pecados por ter acreditado que só se vive uma vez". Ando pensando demais e isso é ruim. Bem ruim pra falar a verdade.

"Muito prazer meu nome é otário' parece me lembrar das minhas causas perdidas, dos amores deixados para trás, amores que admitindo ou não eu ainda queria que fosse pra sempre. "Diga a verdade ao menos uma vez na vida, você se apaixonou pelos meus erros", porque a gente sempre vai ser algo mais ou menos assim:

Somos o que há de melhor!
Somos o que dá pra fazer...
O que não dá pra evitar
E não se pode escolher

Ouvindo Engenheiros, tentando arquitetar um roteiro pra minha vida, mas realmente eu estou mais confusa do que o de costume. Acho que é culpa de uma saudade que não tem fim e que ainda mora aqui no meu peito. Tem horas que ainda dá vontade de gritar: "Volta!"

Releio o post até aqui. As palavras não possuem nexo. Vão mudando, sendo escritas conforme a música no player. Um erro assim tão vulgar, me persegue a tarde inteira e de noite vai me achar num bar. Não sei se eu soubesse antes o que sei agora, será que eu erraria exatamente igual? Não quero ser o que não sou. Palavras soltas, versos emprestados do Sr. Gessinger.

14 de dezembro de 2008

Apenas um corpinho bonito?

Será que é só isso que sou? Me sinto mal às vezes quando noto que enquanto eu busco um relacionamento sério, ninguém quer nada com nada, simplesmente porque a grande maioria tem medo de se envolver, medo de sofrer, medo de não dar certo, medo de gostar de alguém.

 

Estou me achando super careta. Não gosto de fazer a linha "Deu mole eu to pegando". E gosto menos ainda de levar alguém que não vale a pena à sério. Acho que quanto mais a gente espera de alguém mais a gente se decepciona.

Saudade de pessoas corretas. Pessoas que sabem muito bem o que querem e o que não querem.

Não sou apenas um corpinho bonito dando sopa por aí. Sou mais que isso. Uma pena que ninguém se interessa por minhas idéias, minha forma de ver o mundo. Sinto que todo mundo se torna surperficial. Quero gente com conteúdo ao meu lado. Gente que faz os momentos juntos valerem a pena.

13 de dezembro de 2008

Numa vibe musical...

Ouvindo muitas músicas, prestando atenção em muitas letras, lembrando de muita gente e principalmente: pensando em muita coisa.

Planos pra uma viagem que não sei se vai acontecer.

Planos, planos e mais planos. Eu tenho uma ânsia muito grande em fazer acontecer. um impulso muito grande pra fazer o mundo girar, um impulso que às vezes não consigo segurar.

No mais? Tudo certo. O planeta Terra tem me proporcionado surpresas. Vamos ver no final no que vai dar.

Comprei presente. Não sei se entrego. Fico me perguntando se vai fazer a diferença que eu gostaria que fizesse. Às vezes me sinto um  zero à esquerda. Até quando?

8 de dezembro de 2008

Das músicas que eu escuto - 02

Post parecido com outro, sim senhora

Vínícius é tão bom, tão perfeito, tão gostoso de se ouvir, tão real, tão algo que me completa, tão belo quanto aqueles olhos castanhos. Me peguei ouvindo e cantando...

 

Minha Namorada - Vinicius de Moraes

Meu poeta eu hoje estou contente
Todo mundo de repente ficou lindo
Ficou lindo de morrer
Eu hoje estou me rindo
Nem eu mesma sei de que
Porque eu recebi
Uma cartinhazinha de você
Se você quer ser minha namorada
Ai que linda namorada
Você poderia ser
Se quiser ser somente minha
Exatamente essa coisinha
Essa coisa toda minha
Que ninguém mais pode ter
Você tem que me fazer
Um juramento
De só ter um pensamento
Ser só minha até morrer
E também de não perder esse jeitinho
De falar devagarinho
Essas histórias de você
E de repente me fazer muito carinho
E chorar bem de mansinho
Sem ninguém saber porque
E se mais do que minha namorada
Você quer ser minha amada
Minha amada, mas amada pra valer
Aquela amada pelo amor predestinada
Sem a qual a vida é nada
Sem a qual se quer morrer
Você tem que vir comigo
Em meu caminho
E talvez o meu caminho
Seja triste pra você
Os seus olhos tem que ser só dos meus olhos
E os seus braços o meu ninho
No silêncio de depois
E você tem de ser a estrela derradeira
Minha amiga e companheira
No infinito de nós dois

5 de dezembro de 2008

Desejos estúpidos

Que sejam muitas loiras e que venham tão estúpidas quanto minha garganta sedenta almeja. Que as loiras sejam boas, sejam bohemias e gostem da vida fácil que eu levo. Que me acompanhem e me façam rir. Que a presença delas seja tão intensa na minha vida que eu sinta o mundo diferente.

Pois é, tudo isso é vontade de tomar uma cerveja gelada, e principalmente, ter a companhia dos meus amigos queridos.

Desejo de deliciar-me com uma cerveja estupidamente gelada, de sorver cada gole como se fosse o último.

Chega logo "final de semana", chega porque te almejo, chega porque quero ferver, chegar porque quero beijar as bocas que me desejam, porque quero rever os olhares que me encantam, quero viver a vida que me espera. Chega, porque quero apagar deste meu peito essa dor, essa ausência que insiste em incomodar. Chega, mas venha acompanhado. Bem acompanhado de preferência. Chega porque a falta que eu sinto daquele amor pra vida toda me machuca a cada instante. Chega e me faz esquecer, me faz delirar, me faz amar novamente.

4 de dezembro de 2008

Das coisas estranhas que acontecem

Acho tão estranho as coisas do amor. Acho estranho como elas são e como acontecem. Acho estranho todo mundo achar que é jogo. Talvez seja sim um jogo de sedução, um jogo de cartas, onde você nunca saber o que o lado de lá vai aprontar. Na verdade acho que que no fundo tem mais a ver com um jogo de dominó. Por quê? Porquê as peças se encaixam, e só se encaixam nas coisas iguais, e muitas vezes quando não temos nada igual a gente passa a nossa vez, ou ainda compramos peças. Comprar peças é somar coisas ao que nós já éramos no início do jogo.

Às vezes somos obrigados a comprar peças, pode ser por dor ou por amor, mas compramos.

O ruim é que a gente sempre espera o outro mostrar a peça pra poder saber o que a gente precisa comprar. Acredito que pior que isso é esperar o outro "jogar" pra poder dizer o que sentimos.

Eita mania boba essa: querer ser aceito. Esse medo de rejeição, medo de tomar um fora, medo de admitir que talvez possa não dar certo nos impede de sermos nós mesmos. Por essas e por outras, trancamos quem somos à sete chaves.

Tudo bem que ninguém nunca vai entregar as 7 pra outra pessoa, no máximo umas 5 ou 6, até porque é difícil quem se conheça tão bem ao ponto de possuir todas as chaves e poder escolher como e pra quem entregar.

O fato é que chega uma hora que de tanto sofrer a gente não se abre e não se permite gostar de alguém simplesmente por medo de sofrer, por medo de perder aquilo que ainda não se tem.

Acho que cansei dos jogos. Só quero cuidar de alguém e quero que esse alguém também cuide de mim.

Quero abraçar, ficar conversando, vendo o tempo passar, onde tudo o que importa não são nem as palavras ditas, mas os momentos juntos.

3 de dezembro de 2008

Das músicas que eu tenho escutado

Essa é uma das poucas que sei (tentar) tocar no violão.
Gosto da batida, gosto da letra, gosto de ouvir por vezes seguida.


Não Vá Embora - Marisa Monte
Composição: Arnaldo Antunes / Marisa Monte

E no meio de tanta gente eu encontrei você
Entre tanta gente chata sem nenhuma graça, você veio
E eu que pensava que não ia me apaixonar
Nunca mais na vida

Eu podia ficar feio só perdido
Mas com você eu fico muito mais bonito
Mais esperto
E podia estar tudo agora dando errado pra mim
Mas com você dá certo

(Refrão):
Por isso não vá embora
Por isso não me deixe nunca nunca mais
Por isso não vá, não vá embora
Por isso não me deixe nunca nunca mais

Eu podia estar sofrendo caído por aí
Mas com você eu fico muito mais feliz
Mais desperto
Eu podia estar agora sem você
Mas eu não quero, não quero

(Refrão):
Por isso não vá embora
Por isso não me deixe nunca nunca mais
Por isso não vá, não vá embora
Por isso não me deixe nunca nunca mais (2x)

2 de dezembro de 2008

E você?


Eu posso até estar na pior, mas nunca me deixo abater. Eu sou a Lindsay Lohan e sempre tem uma boate cheia de amigos, DJs, gatinhos (e até umas meninas bonitinhas, vai!) para eu me divertir e esquecer dos problemas.

Qual celebridade você é quando está na pior?



1 de dezembro de 2008

Um GPS por favor!

Acho que pelo menos uma vez na vida todo mundo já sentiu-se assim: Completamente perdido. Mas assim, perdidinho da silva mesmo.

Eu estou assim agora. Sentindo falta do meu chão, do meu coração, da minha segurança e principalmente: daquela coragem de me jogar de cabeça nas escolhas que faço.

Quanto mais opções mais díficil escolher. E minha vida não é igual um rodízio onde cada hora provo um sabor. Eu quero uma coisa só. Ou uma pessoa só, enfim entanda como quiser. Mas estou me sentindo tão estranha, tão estranha que não me reconheço.

Como disse Nando Reis: "Eu estava em paz quando você chegou...".

Senhora sensação estranha hoje. Há muito não sentia nada parecido.

Sei lá como vai ser essa semana.