8 de junho de 2009

De todos os tipos

Já namorei/me envolvi com diversos tipos por aí: Metaleiro que só anda de preto com correntes penduradas, DJ's Safados & Mulherengos, professor de educação infantil, jornalista mega engraçado, jornalista cheio de "nhé nhé nhé", pé-rapada sem ambição (mas lindo de morrer), enfim: quase todos os tipos possíveis. Acho que por essas e por outras não consigo estabelecer um perfil do "namorado ideal".

Talvez o ponto em comum na grande maioria das pessoas que passaram (e marcaram) a minha vida é o bom humor e principalmente as boas conversas. Até porque eu acredito que (quase) tudo na vida a gente resolve conversando.

Se for pra analisar o "amor da minha vida", por mais que não tenha dado certo, é notável a nossa disponibilidade para papos... Inclusive acho que o fim da nossa relação foi meio que marcado por isso: as conversas já não eram como antigamente.

Hoje eu tento me desprender das semelhanças. Sei que alguém pra me conquistar hoje tem que chegar com jeitinho e saber (ou tentar) entender minhas entrelinhas e compreender minhas neuras...

Não quero namorar por namorar. Quero companhia, quero alguém que saiba ser amigo também. Um alguém que se encaixe pelo menos um pouco com todos os tipos...

Um comentário: