30 de setembro de 2009

Os pensamentos que eu nunca vou admitir

Tento sorrir pra não chorar. Algum sentimento que não sei dizer qual bateu à porta do velho coração.

Penso. Repenso. Ouço a mesma música enquanto coço a cabeça tentando espantar tudo o ronda minha mente.

Quero ser o cais, forte, impávido e colosso. Quero cuidar, dar certezas, quero amar sem medidas. Mas ai teus medos se tornam meus medos. E eu também tenho medo de te perder. Não quero preocupações bobas, não quero procurar motivos para ter incertezas. Nessas horas teus olhos fazem falta, pois costumo arrancar certezas deles, mesmo sem você perceber. Me pego contando os dias.

A música acaba e recomeça novamente. Minha mania de pensar demais também é assim.
A lágrima cai. Tímida, rola devagar sobre a pele e salga a boca. Talvez esse seja o sabor da incerteza. Talvez esse sabor me dê ainda mais sede dos teus beijos.

Sinto como se estivesse desenhando: o lápis sobre a folha cria planos, apago, rabisco novamente. E tudo vai ficando assim, meio certo, meio incerto.

Já não sei ao certo o que estou pensando ou sentindo.
Enquanto isso no mundo real, vou posar de boa moça. De moça boa, daquelas fortes, que não se abalam com qualquer coisa.

A mente fervilha.
Quero teu colo, teu cheiro, tua pele. Quero a paz do teu sorriso e o calor do teu corpo. Quero a tua respiração descompassada. Fazer amor até perder o ar.

Novo giro na roleta. Nova carga de pensamentos. Eles não param, vão surgindo de todos os cantos, como praga, só pra me atormentar. "Concentração! Concentração" repito silenciosamente como um mantra secreto.

No fim tudo dá certo.

4 comentários:

  1. É muito melhor demonstrar esses sentimentos do que manter seu corpo e sua alma presos..
    Bjs!!
    =1

    ResponderExcluir
  2. hm as vezes eu acho melhor só admitir as coisas, do que guardar assim.

    ResponderExcluir
  3. Teus textos são modernistas, não? Mais precisamente da segunda fase. Você está lado a lado com Drummond e Vinicius, pois trata de temas particulares de forma universal. Impossível não encontrar no que escreve, ecos de alguma fase de minha vida... Adoro o que escreve, moça bonita!

    ResponderExcluir
  4. Oiiiiiii.vi teu blog na capricho ,queroo seguir vc mais nao consigo
    nao aparece o treco de seguir =/
    Mais vc poderia seguir os meus neh *-*
    Assm as vezes da para eu seguir vc

    ResponderExcluir