8 de outubro de 2009

Ausência

Faltam as palavras.
Sim, faltam.

Todas as palavras do mundo fazem falta neste exato momento. Neste momento, nem essas que digito aleatoriamente, somente para preencher o vazio de uma tarde chuvosa, conseguem transmitir em alto e bom som o que eu sinto. Se é que sei o que sinto, se é que se pode cometer o pecado de tentar traduzir (e conseguir) sentimentos em palavras.

Há uma ânsia, um desejo e um torpor no ar. Uma angústia, quem sabe.
Entre um tablete e outro, o chocolate adoça a boca que deseja teus beijos. Chocolate com passas para passar o tempo. Os mesmos dedos que batem sorrateiramente no teclado quebram em pedaços menores o doce sobre a mesa. A mão que deseja tua pele, alva e macia, alterna entre alimentar o corpo e esvaziar a mente das palavras que vão surgindo.

Fico a enrolar, sem ter o que escrever. O twitter está fora do ar novamente e não tenho como registrar meus pensamentos mais aleatórios. Tenho vontade de escutar as não tão velhas canções da adolescência e me pego cantarolando “Save me” do trio cabeludo e loiro.

Lá fora chove e aqui dentro faz frio. Desligo o aparelho condicionador de ar que estava estupidamente ligado. O chocolate acaba e a boca sente falta de água.

Penso novamente no teu nome. No nome que por acaso do destino veio parar na minha vida e foi ganhando espaço no coração sem querer. Acho que de tanto fugir desse amor ele se tornou maior do que eu poderia imaginar. É grande sim, mas não o digo. Neste caso prefiro guardar as palavras aqui comigo.

Faltam as palavras pra dizer a falta que você faz.

Um comentário:

  1. Adorei o texto. É muito comum falatarem palavras para nós conserguimos expressar alguma coisa.
    beijos,
    Sofia
    (http://pirulito-no-palito.blogspot.com)

    ResponderExcluir