9 de dezembro de 2009

Intensidades...

Tem muita coisa guardada aqui dentro. Tem muito ponto de vista, muita informação e muita opinião. E tem sentimento também. Não sei por quê, mas a menina, que sempre demonstrava (quase) tudo, resolveu guardar fatos, coisas, acontecimentos e outros “mentos” mais dentro de si mesma.

Passei a observar mais. E quando digo algo, as palavras às vezes vêm com tanta força que eu me machuco ao proferi-las, porque elas – as palavras – ficaram tanto tempo dentro de mim, que o sentimento que dá significado a elas, que dá o porquê delas existirem, cresceu tal qual massa fermentada.

Apertei o pause, mas esqueci que o rio continua a correr. E a água foi acumulando, acumulando. Quando abri novamente as barragens até o “Eu te amo” doeu. Levou parte de algo sólido.

O tempo se foi. Não volta. Quero outros “agoras” pra lembrar mais a frente.
Bocejo, janela laranja, barulho de chuva. Férias, beijo na boca, amor.
Cadê aquele sorriso que me faz feliz?

No fim é tudo questão de intensidade.

4 comentários:

  1. No fim é tudo questão de intensidade.

    Vou dar graças seja lá quem for DEUS, mas até que enfim encontrei alguém que pensa que nem eu.

    ResponderExcluir
  2. uual.. texto lindo! virei sua seguidora e te puis na lista de links querida :)

    ResponderExcluir
  3. Tudo de bom *-* Priscila arrasa sempre :D

    Beijo :*

    ResponderExcluir