16 de fevereiro de 2010

Nó na garganta

Se for mesmo ler toda essa lenga-lenga sentimental, leia ouvindo isso aqui



Eu sinto falta de sentar aqui e digitar sem pensar em quem lê ou deixa de ler tudo o que escrevo.

É com uma certa urgência no peito que descarrego as palavras no teclado, preciso aliviar toda essa tensão.

Sabe, eu ando perdida. Bem perdida pra falar a verdade.
Aquela confusão de pensamentos, as lembranças que eu quero esquecer, as palavras que não eram pra mim, tudo martelando junto e ao mesmo tempo. É eu ainda lembro, eu não falo nada mas eu lembro... E dói. Dói porque eu não vejo nada pra mim... Eu não vejo, eu não consigo ver... Você vem e diz que está ali, mas eu não consigo e minha incompetência faz com que a dor seja maior ainda.

É como se fosse tudo irreal, sabe?

E eu gosto de coisas palpáveis. Amor palpável, inclusive.
Não o sentimento em si, mas os frutos desse sentimento.

Tá doendo, tá doendo faz tempo e ninguém liga. Eu aviso que dói, eu aviso que incomoda e ninguém se importa. Mentira, as pessoas se importam, menos quem deveria de fato se importar.

Eu me sinto abandonada. Jogada a minha própria sorte, correndo atrás de um sonho que é só meu. Ou que eu acho que é só meu.

Não sou passatempo, embora me sinta como um.
Pra que viver um amor se você não acredita nele?
Eu acredito. Eu acredito tanto que ainda estou aqui, ainda tento, ainda faço.

Quando eu disse "no one knows it more than me" eu disse a verdade.
Ninguém sabe. Nem você.
Você não tem noção do tamanho do sentimento que está guardado nesse coração (não tão) velho de guerra...

Eu tenho vontade de fazer loucurinhas de amor todos os dias, mas eu não vejo nada vindo a contra-mão em minha direção. Não vejo.

Desculpa a minha inveja, desculpa o meu apego ao passado, tanto o meu quanto o teu, mas eu me alimento dessas pequenas coisas, essa entrelinhas que todos os casais têm e que a gente também tem, mas que poderiam ser mais, que poderiam ser tão grandes quanto o nosso meu amor.

Eu não tô feliz. Tô e não tô. Tô porque sei que você está ao meu lado, mas não to porque tem horas que me esqueço disso por 5 segundos e sinto falta de lembrar disso a todo instante.

Eu fico pensando se eu te cobro demais, se não tenho paciência, se fico procurando sarna pra me coçar. E caio nas comparações infelizes.

Preciso do pronome, preciso do bendito pronome, preciso de "Nós" mais do que qualquer outra coisa.

Nossas fotografias, nossas cartas, nossos cartões, nossas conversas, nossos tweets que só a gente entende.

Eu olho e me canso de ser o seu amor só embaixo do tapete, só atrás da cortina.
A nossa vida é um espetáculo. Muito casal 20 teria inveja dos nossos momentos fofos, mas por que fazer tudo isso atrás das cortinas?

Só se vive uma vez. E eu não sou mais uma criança, eu não vou ter tempo pra passar minha vida a limpo.

Eu não quero me fechar!
Tá doendo, e eu só tô querendo colo e um pouco de atenção.

Sentir-se importante não é apenas ouvir "Você é importante". É mais que isso.

E merda, to chorando de novo.
Não era pra ser assim.

Será que o problema sou eu?
Eu estou com um nó na garganta do tamanho do mundo.
Isso está realmente me sufocando.

É o emprego que não vem logo, é a grana que tá curta, são as contas, a ausência do plano de saúde. São as saudades alheias, as palavras invisíveis. A minha maldita alergia, meu pai que não fala comigo.

Meu inferno astral resolveu começar mais cedo, só pode.

3 comentários:

  1. "Eu não quero me fechar!
    Tá doendo, e eu só tô querendo colo e um pouco de atenção."
    Acho que vou salvar essa frase em algum documento, ou escrevê-la em algum lugar. Porque já me senti assim, e sei que isso deverá se repetir.

    Ah, não sei muito o que falar. Só te desejo paciência, e que não desista de tudo.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  2. sei como você se sente.. mas às vezes, quanto mais se exige menos se tem.. tem gente que se sente acuada.. tem gente que não demonstra pra se proteger.. mas se tu sente tudo isso, é PRA ELE que você tem que falar.

    ResponderExcluir
  3. Nooossa eu gostei mt e eu adoro escrever assim como vc e eu escrevo pra cara que gosto, e ele sabe que gosto dele e tall é uma história longaaa, mas eu nunca tive coragem de mostar tudo que eu escrevo pra ele, mas agora eu vou postar tudo isso no meu blog.

    beijoooos, OBG ;*

    ResponderExcluir