27 de abril de 2010

Recomeço, ponto

A palavra surge em meio a mais uma entre tantas músicas.
Afinal o que é começar de novo? É começar do zero? É fazer tudo de novo?

É mudar?

O coração segue de um jeito que faz com que eu acredite que está tudo melhor assim.
Não que o passado sejam apenas reclamações, não, não é isso. Só acho que assim, por enquanto está melhor.

"E eu vou tratá-la bem, pra que ela não tenha medo, quando começar a conhecer os meus segredos" canta Frejat com sua voz grave.

Sobre a mesa o copo plástico com restos de café. As fotos que não minhas, as memórias que não são minhas, a vida da qual não faço parte.

A vida segue. Pra onde?
Por que?

"Lágrimas são água..." passa a música, passa o tempo.

Esse vazio, apesar de bom, me incomoda.

E esse incomodo me faz ficar olhando por minutos a fio sem saber o que escrever. E não saber o que escrever é tortura. Eu sempre fui de falar, eu sempre fui de colocar pra fora...

No fundo sei que essa ansiedade, essa coisa de deixar o tempo esperar é que me mata... Eu sempre quero fazer acontecer e agora, de novo, estou deixando acontecer.

Um comentário:

  1. lindo texto. Esperar cansa...ainda mais quando os resultados demoram maiso duqe a gente previa ;/
    tenha calma, arrume paciência em qlqr farmácia.
    beijos

    ResponderExcluir