28 de junho de 2010

...

A sede daqueles beijos urge em meu corpo.
Cada marca tua, cada marca nossa, cada lembrança maltrata ainda mais, deixa no peito esse vazio insaciável.

Vou preenchendo com palavras esse vazio, característico dos momentos em que não posso te ouvir, momentos em que não posso sentir tua pele junto a minha.

Vou escrevendo, registrando os desejos, os planos e os sonhos.
Aí percebo que não preciso sonhar, o primeiro passo já é realidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário