6 de julho de 2010

Aquelas pernas

As pernas passam e levam junto meus pensamentos. Pé ante pé.

Passo a passo, repasso os últimos acontecimentos.

O par de pernas volta. Meu par de olhos acompanha. Quero de volta meu fuso horário japonês, horário que me faz dar boa noite quando o correto é dar bom dia.

Pergunto-me o que será agora daquelas serenatas. Aquelas que ficaram só nos meus planos. Planos que são muitos. Que eram de uma vida toda. Histórias para dormir, reuniões no colégio dos filhos.

Detalhes.
Cada vírgula fantasiada na minha cabeça inconsequente, juvenil.
As pernas passeiam. Minhas pernas não me levam a lugar algum.

Faço coisas que nem sei por quê, coisas que não sei como explicar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário