10 de julho de 2010

A morte anunciada do Zé

O Zé tá morrendo. Tá nas últimas. Não sei se você ficou sabendo, mas ele desistiu dessa vida, quer sair da bagunça, virou homem sério, continua sendo o macho alfa de sempre, todo orgulhoso, desses, que acha uma ofensa a dama pagar as contas, desses que se orgulha de abrir a porta do carro, puxar a cadeira, enfim, o Zé agora diz que quer tomar rumo na vida, casar, ter filhos, essas coisas...

Anda cabisbaixo, coitado.
O Zé pediu pra falar que está desenganado da vida. Diz ele que, agora, é José, como o Saramago - que vai escrevendo, escrevendo, escrevendo - o Zé vai vivendo, vivendo, e amadurecendo. Vai sendo. E quanto mais o Zé vive, mais ele vê que não quer viver. O Zé amadurece, cai, feito fruta madura. E quanto mais saborosa fica a fruta, mais perto do fim, fica o Zé.

Mas deixa o ex-Zé pra lá. Ele está morrendo mesmo.

2 comentários:

  1. Que o novo Zé que está nascendo seja melhor do que o que está morrendo. bj

    ResponderExcluir