5 de agosto de 2010

Um cão chamado Amor...

Preciso de entrelinhas. Nosso Amor se alimenta delas, esqueceu?
Na verdade, o meu Amor necessita delas... Ainda hoje conseguimos uma dose, o que faz com que ele - o Amor - tenha uma sobrevida de algumas semanas.

Não sei qual tipo de entrelinhas você tem disponível aí com você, então por via das dúvidas mande todas assim que possível.

Não que o Amor esteja fraco ou algo do tipo, é que este frio todo e essa distância, que já dura mais de uma semana, faz com que o Amor fique extremamente sensível e até mesmo um pouco tímido. Tão tímido que ao perceber que tem alguém por perto, corre e esconde-se embaixo da cama.

O Amor anda bobo.
Hoje, com as ligações, corria de um lado a outro do escritório. O exercício aqueceu o coração.

Mas o médico pediu que continuemos com as entrelinhas...
Lembra daquele papo de fisioterapia? Então...

Quero ver se consigo treina-lo para que busque além de jornais, livros.
Se bem que o livro que anda me interessando mesmo é aquela biografia, aqueles contos de humor que pensamos em escrever...

Não sei como serão os próximo dias.
Acredito que amanhã fará frio...
Talvez mais frio do que hoje, mas nem ligo.
Abraços costumam esquentar dias assim tão frios.
Longos e aconchegantes. Os melhores abraços. E com amor no meio, é lógico.
Ih! Você esqueceu as entrelinhas? Tudo bem eu trouxe algumas aqui comigo.
Escrevo-as da mesma maneira que confesso meus sentimentos por aí.

Nenhum comentário:

Postar um comentário