11 de outubro de 2010

antes da cama

Estou enrolando antes de aceitar a cama como o fim da noite de hoje. Ok, sei que não sem nem sete da noite, mas o cansaço mental tá maior do que o meu corpo pode suportar.

Pensei em escrever em inglês. Sabe como é, treinar um pouco e enrolar meus pensamentos também. Lembrei da proposta que uma vez fiz a minha terapeuta: fazermos uma sessão em inglês, coisa que obviamente ela não topou. Seria controle demais, seria fugir das reações e seria ficar medindo palavras.

Acho que eu sempre meço palavras. Por mais que eu diga coisas sem pensar, essas coisas sem pensar com certeza já estavam no "arquivinho" de coisas "sem pensar" que um dia podem (poderão) ser ditas. Entende?

Hoje foi, ou está sendo, um dia estranho. Eu não quero machucar ninguém. Mas também não quero que me machuquem.

Estou aleatória. Mais do que o de costume. Me sinto um caleidoscópio de sentimentos.
Aí eu fico girando, girando, girando.
Sei lá, acho que espero atitudes enérgicas, mesmo sabendo que no momento isso não resolveria absolutamente nada.

Confesso que estou remoendo coisas. Diversas. Boas e ruins, mas ruins principalmente. Eu preciso deitar. Preciso dormir.

Pena que meu sono não me leva de volta ao ponto em que eu gostaria que representasse o início de algo novo.

Um comentário: