14 de outubro de 2010

in verso

O inverso do verso não consigo escrever
O contrário do amor não é dor e nem mesmo saudade
Nos riffs da guitarra a melodia de mais um anoitecer

Mais um gole, mais uma taça
E lá se vai mais uma garrafa
Uma ordem: Não desfaça

A roda gira, a vida roda
O que quero é o entorno dos teus lábios
Nossos laços
Teus abraços

Outra música
Outra taça
O que sinto é um misto de saudade com sei lá o quê
O verso agora no inverso, não faz com que eu compreenda você

2 comentários: