11 de novembro de 2010

Sutil

Sempre fui meio arisca com as coisas. Meio mimada, talvez.
E não gosto de quem fala demais sem ter nada a dizer. Gosto das palavras bem medidas, bem escritas. De toda aquela coisa certinha e engomada. Amo a sutileza e a elegância.

Minha maior paixão é o padrão e aquela vírgula fora dele. Um detalhe pensado, as vogais que somem e ainda assim dão sentido ao texto.

Amo a maneira como a minha mão procura a tua, a minha loucura no meio da rua.
Curto essa coisa de tentar rimar, mesmo sabendo que eu nasci pra prosear e que essa coisa de verso é sempre o meu inverso, de tanto tentar.

Aprecio o segredo bem guardado, a confidência e a cumplicidade no olhar: tem coisas (muitas coisas) que não gosto de espalhar.

2 comentários:

  1. Babei no texto.
    Simples e muito bem escrito!
    Um beijão, Pri. Minhas coxas prediletas!

    ResponderExcluir
  2. Nossa, conseguiu. Foi bastante sutil.

    =D

    ResponderExcluir