17 de dezembro de 2010

Geraldo não me entende mais

Geraldo me visitava, trocávamos parcas palavras, mas ainda assim havia comunicação nessa vida nômade que a gente leva de link em link.
Geraldo, entendia e comentava comigo, de noite na cama, sem parcimônias suas histórias, seus contos e seus pontos. Geraldo tinha uma alma feminina que me encantava. Mas Geraldo sumiu, não deixou um bilhete escrito sobre a mesa, não deixou endereço, nem e-mail para contato.

Agora ele escreve cartas, mas envia-as sem destinatário certo. De vez em quando pego uma dessas no ar, volto a sua antiga moradia, devoro suas palavras. Então passo mais tempo sem ver nada, sem sentir nada... Aí Marisa faz com que eu me lembre, então volto a caçar no ar as palavras jogadas por aí...

Geraldo, me manda um e-mail?

Um comentário:

  1. Eu não sumi completamente, estou apenas fora do campo de visão. Eu venho aqui sempre, mas como leitora voyer que sou, eu apenas espio, absorvo, quietinha e sem fazer barulho. Mas email-me quando quiser e puder. Saudades! bjo

    ResponderExcluir