27 de dezembro de 2010

Sobre 2010 e suas partes


Reviews e retrospectivas são muito comuns nessa época do ano. Olhar para trás às vezes faz bem, digo “às vezes” porque é como diz aquele dito popular “Quem vive de passado é museu” e se tem algo que realmente não dá é tentar ficar revivendo coisas, sejam mágoas ou alegrias, sejam coisas ou pessoas, temos uma grande dificuldade em deixar algumas coisas para trás, da mesma forma como não nos apegamos em certos detalhes que deveriam ser muito mais importantes...

Se aquilo que nos faz mal nos prende mais, deveríamos dar mais atenção a pequenos momentos de alegria. Seja um passeio com amigos, seja uma tarde sozinha em casa.
2010, último ano de sua década. Fechamos mais um ciclo, mais uma geração entregue ao mundo. Uns mais saudosistas dos anos 80. Outros com saudades dos anos 90 que apesar de não parecer, já tem um tempinho que passou também.
Para um ano em que eu comecei basicamente sem nada, 2010 foi até que generoso: encerro o ciclo num emprego que eu gosto, com melhores condições, com possibilidades de crescimento, com um salário melhor que o anterior, com colegas de trabalho bem-humorados e que contribuem sem reclamar para o crescimento do empresa; uma galera que não liga de abrir mão do eu em benefício do coletivo. Admiro essa visão de time em uma empresa grande. Dá gosto ver que as pessoas aqui não se limitam a fazer somente aquilo para o que foram contratadas...

Se no início desses quase 365 dias que já se passaram eu me meti em diversas confusões amorosas, se me envolvi em rolos, briguei, me magoei, magoei outras pessoas, me apaixonei, desapaixonei, briguei de novo, confiei, me decepcionei, dezembro de 2010 permite que eu encha a boca pra dizer que consegui chegar a uma das minhas metas desse ano: namorar com alguém que goste de mim e de quem eu goste também.
Por mais que haja dificuldades, por mais que exista a distância, acho que poucas vezes me senti assim... tão bem... A relação tem altos e baixo? Tem, mas nada impede de prosseguir superando cada obstáculo que aparece, e olha que não foram poucos: de ex-maluca surtando à fofoca, esse ano eu acho que enfrentei de tudo, enfrentei até a triste (e ao mesmo tempo feliz) constatação de um grande amor às vezes deixa de existir... No final fica a certeza de que vou dormir e amanheço pensando na mesma pessoa, fica a certeza de quero construir um lar, dividir minhas coisas, dividir minha vida... São planos em que 2011 pretendo ficar mais perto de realizar!

2010 teve suas dificuldades: desemprego, confiança quebrada, brigas bobas, mas teve muito mais coisas boas.
Posso dizer que esse ano me firmei um pouco mais como fotógrafa. Casamentos e making-of com fotos particularmente excelentes e a conquista da minha primeira foto publicada na capa de dois jornais regionais (agradecimento especial: Raquel Marques pelas oportunidades concedidas e a Fátima Gamallo, mais do que mestre: exemplo de vida e grande encorajadora... Fica mais fácil vencer quando conto com a torcida de vocês).

2011 está quase aí. Esperanças e forças renovadas. Novos rumos, novos planos. Coisas boas permanecem, coisas ruins me desfaço, me despeço.

Nenhum comentário:

Postar um comentário