15 de março de 2011

Borboleta de março

Tradicionalmente nessa época do ano, querendo ou não, eu vou me fechando.
Sei lá o porque, mas a proximidade do meu aniversário faz com que eu entre no meu casulo e assim permaneça durante um tempo. Março dói. Março dói e ao mesmo tempo traz uma alegria silenciosa, alegria que não precisa ser escancarada aos quatro cantos do mundo.

Talvez essa alegria silenciosa seja por saber que depois do casulo vem sempre a borboleta.ok, isso ficou gay

Sei lá, percebo que a idade, e mais do que a idade: a responsabilidade, chegou porque meu mundo não para mais pelos mesmos motivos que parava há dez anos atrás.

O show tem que continuar, continuar, continuar...
Aí eu fico bancando a forte pelo tempo que durar, quase da mesma forma como canta Marisa Monte...

Não sei quem foi que decretou que adulto não chora ou não tem sentimentos, ou qualquer coisa do tipo...
Meus dias não andam sendo os melhores, mas também sei que já passei por coisas piores, aliás coisas que só foram piores porque eu não tinha maturidade para aguentar a barra sozinha como faço hoje...

É pau, é pedra, é o fim do caminho... É dinheiro que falta, é um abraço e um carinho...
São as lágrimas de março me afogando um pouquinho...

Um comentário:

  1. março dói mesmo!!!em mim também, pelo mesmo motiiivooo..adorei o blog, se der entra no meu www.rcfpensamentossoltos.blogspot.com

    ResponderExcluir