12 de março de 2011

Outra vez

Não é amor já há algum tempo. Ficou aquele sentimento de posse, algo que até pouco tempo atrás eu sabia que era exclusivo.
Do carinho que restou, uma parte minha amarga egoisticamente a razão dos teus novos sorrisos. O melhor abraço, o melhor lugar do mundo era algo que pertencia a mim e a mais ninguém.

Por conhecer-te tanto e tão bem, conheço também o brilho do teu olhar quando fala de outro nome que não mais o meu. E sinto falta de saber me senhora dos tuas lembranças.

Outra vez.
Outra vez a gente se encontra e eu repenso em tudo o que passou. Te agradeço por ter contribuído na formação de tudo o que eu sou hoje...
Outra vez me pergunto perguntas sem respostas.
Outra vez, canto aquela nossa canção.
Com uma lágrima te vejo partir. E só posso desejar, que de coração (apertado), te façam feliz.

Um comentário:

  1. Que saudade que eu estava de passar por aqui.
    Vou voltar a ser frequentador acíduo do GVF, pois é sempre bom ler as palavras da Pri!
    Beijos

    ResponderExcluir