16 de novembro de 2011

Em branco

Perder um texto, é quase como abortar um filho, salvo as devidas proporções, obviamente.
Aquele rascunho não salvo, aquela tela em branco que fica.
É o vazio de uma existência que não chegou a ser.
Uma ideia na cabeça e um monte de teclas na ponta das mãos. Momentos perdidos, palavras perdidas.

Um filho que não chegou a ser.

2 comentários:

  1. Tenho perdido muitos textos ultimamente e é de fato, péssimo.
    Adoro o que escreve.

    ResponderExcluir
  2. E o arrependimento do aborto? Esse também dói um tanto.

    ResponderExcluir