24 de dezembro de 2011

Então é isso o que eu desejo pro Natal...

A morte de uma amiga querida próxima à uma data especial como o Natal tem a capacidade de fazer com que diversos pensamentos passem a fazer companhia.
Nessas horas que paramos e pensamos em como a vida é frágil e que para morrer basta estar vivo.
Essa fragilidade da vida me assusta. Me assusta porque tenho medo de não conseguir dizer coisas importantes pras pessoas com quem eu me importo. Pessoas que não fazem ideia de como são importantes para mim.
Pode até rolar uma distância, pode rolar de ficarmos meses sem nos falar, pode até ser que já tenho rolado um desentendimento... Não importa, tem tanta gente que não faz ideia de como eu sentiria falta se por ventura algo acontecesse...
Natal é tempo de renovar as esperanças num mundo melhor. Independente do credo, acho que quando muitas pessoas pensam em coisas positivas a vida tende a ficar mais leve...
Renovar as esperanças, fazer a vida valer a pena. Ligar pra aquele velho amigo e dizer: ”Ei, você é importante pra mim”. Dar um abraço. Um abraço faz a diferença na vida. Pelo menos na minha vida faz.
Eu não sei por quanto tempo vou viver. Só sei que hoje, agora, neste exato momento estou engasgada com uma saudade que não vai passar. Engasgada com o amargo arrependimento de não ter dito pra Mari o quanto ela era especial. O quanto a existência dela na minha vida fez a diferença. Eu não vou poder mais dizer isso a ela. E isso dói. Dói de uma forma que todos os dias quando volto pra casa uma lágrima de arrependimento escorre e salga a boca deixando o gosto da saudade ainda mais amargo.
Eu não sei bem como dizer pra todo mundo que eu me importo. Tem gente que vai me achar louca. Tem gente que vai se comover. Tem gente que vai achar fofo. Eu só queria que todo mundo tivesse a consciência de que amanhã ou depois a gente pode simplesmente não estar mais aqui...
Pode parecer bobeira, melodrama, sentimentalismo bobo, mas não é. Não espere perder alguém, não espere o inesperável acontecer pra pedir desculpas, pra dizer que gosta.
Que o Natal renove o sentimento bom que todo mundo tem dentro de si. Ninguém é inteiramente bom ou inteiramente ruim. Só queria que no Natal todo mundo desse uma chance pro lado bom ser mais forte. Pro lado bom dar aquela força e nos fazer dizermos coisas que normalmente não dizemos.
As palavras tem força.
E eu só queria dizer que você que está lendo isso provavelmente é bem mais importante do que você imagina na minha vida.

Dedico essas palavras à Mari Steffens que me brindou com uma amizade verdadeira, mesmo que à distância.

Um comentário:

  1. Suas palavras tocaram minha alma verdadeiramente. Achei o espiríto do Natal que eu me deixei perder. Obrigado por abrir meu coração.

    Abraços Imundos

    ResponderExcluir