17 de fevereiro de 2012

Sobre ansiedade...

Sabe aquela vontade de sair escrevendo e contando como as coisas são, estão ou deveriam estar?
Sabe aquela vontade só de escrever, sem tema, só pra colocar palavra no papel?

Falta-me um tema, mas a vontade tá aqui... Latente, batendo, martelando, ecoando... E aí fico pensando sobre o que escrever.
Escrever sobre mim? Talvez. Escrever sobre não saber o que escrever? Clichê.

Sei que ando ansiosa. É como se algo estivesse em cima do muro e eu tivesse que tomar uma decisão... Eu só não sei o que lado tomar, porque não sei o que anda em jogo.

É ansiedade pelo aniversário que chega, pelo treinamento em outra cidade, por ficar dois meses fora de casa.
É um teste. E eu não sei se sei ser forte assim. Todo mundo acha que sim, mas eu não sei. Eu tenho dúvidas. Muitas.
Eu sempre quero acertar, até porque eu não sei lidar com erros. Mas acertar, quando se trata da minha vida, é algo que pode ter tantas facetas... O certo pra mim nem sempre é o certo pra todo mundo... E quando isso acontece, me chamam de egoísta, ou coisas do tipo...

Eu tenho um ego meio grandinho, um senso de autossuficiência que às vezes me faz mal. Faz mal porque quando ele não está presente em excesso, ele falta de uma maneira que me deixa insegura como uma criancinha... É nesse momento que eu começo a morrer de medo de falhar. E eu já disse e vou repetir: sou impiedosa com meus erros.
Não que tudo isso tenha que ser levado à sério. Eu fico remoendo por alguns minutos, mas se tem algo que aprendi com a vida (e não foi de um jeito legal) é que quase tudo passa. Isso pra não falar que tudo, exatamente TUDO passa.
O que é pra sempre? Não conheço nada que seja “pra sempre”...

Tudo isso pra comentar, que estou ansiosa e que no fundo to morrendo de “medinho”. E uns medos bobos. Medo de não fazer amigos. Síndrome de patinho feio. Medo bobo porque quem me conhece sabe que eu começo a bater papo até com o poste se deixar... Ou seja: socializar nunca foi problema. Não até agora.

E só de pensar nisso tudo minhas mãos começam a suar. Pois é...

Acho que o tempo trouxe algumas mudanças pra tia Pri aqui. E trouxe também questionamentos... O que às vezes é algo bom e em outras acaba fazendo com que eu fique me perguntando coisas demais...

7 de fevereiro de 2012

...

Doce, deliciosamente doce. Porque até no nome, tens essa coisa branda e agradável...