31 de maio de 2012

Indie




Bicho, sabe o que é que é?
É que eu to aqui pensando em você, sabe? Eu to pensando em como você chegou na minha vida e plantou sonhos, desejos, e depois se foi.
Na verdade eu fico pensando em como eu fico aqui lembrando do seu sorriso, e me doendo. Doendo porque depois que fiquei aquele tempo fora, você não voltou.
Pior do que não voltar, foi perceber que seu sorriso não é/era mais meu. Foi ver que aquela coisa de tomar um café, de ter as nossas conversas, todo aquele nosso universo único e mágico, tudo isso não existe mais.
Sabe o que é que é? É que eu acho que eu te amei desde o primeiro dia. Desse aquela virada de ano louca... Desde aquele filme lá em casa. Desde a sua primeira risada.

E aí eu fico aqui, pensando. Sabe como é, né? Um pensamento puxa o outro, que puxa outro, que chama outro. E eu querendo fugir dos pensamentos, fugir de tantos E’s...
Aí eu clico em músicas que não conheço, ouço sons que nunca ouvi antes, e me identifico com o novo... Fantasmas numa fotografia, fantasmas que mentem para mim...

Vou indo. Indo, indo, indo. Indo sem saber pra onde. Me jogo no trabalho. Na solidão. Nos amigos. Me jogo em tantas outras coisas, só pra não lembrar como a tua pele é macia, só pra não relembrar que você não está comigo.
Vou indo. E acho que eu te amei desde o primeiro instante. Eu só não soube dizer isso. Vou indo.
Indie. Como o som.

2 comentários: