21 de outubro de 2013

Domingo

Domingo é sempre o pior dia. É quando me afundo num mar de tristeza tão grande que me lembro que eu não sei nadar direito.
Domingo a noite é sempre ruim.

O tempo livre não me tem feito feliz. Fica esse vazio passeando n'alma. São pensamentos que vem bater à porta e me tirar o sono.
São lembranças, são esperanças. São andanças.

Bate uma vontade de sair correndo, como se eu pudesse ter pernas mais velozes do que meus pensamentos.
Uma, duas, três taças de vinho.
O sono não chega.

Domingo é sempre o pior dia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário