26 de dezembro de 2013

Sobre aquelas noites de verão

O toque daquelas mãos tão macias faziam com que o desejo só aumentasse.
De tudo, e todas as sensações, ela gostava mesmo era de fechar os olhos e sentir aquelas mãos percorrendo seu corpo.

A começar pelos braços, com as pontas dos dedos. Tudo ali era desejo e era carinho.
Uma vontade de descobrir-se. De fazer dos olhos um espelho.

O calor daquelas noites de verão fazia com que o suor escorresse... Janelas abertas para a brisa entrar, portas abertas para o amor ir e voltar... Livre como todo sentimento deve ser.