24 de março de 2014

Paz

Sabe quando você sente aquela sensação de dever cumprido?
Pois é, ando sentindo uma paz...

Sabe aquela coisa de não esperar nada e se bastar por si só?
Pois é, ando sentindo uma paz...

Férias chegando. Constatações.
Estou ficando um pouco mais paciente e tenho ganhado muito com isso.

Acho que contribuí com a evolução alheia e de quebra com a minha própria e isso é tão gratificante que me faz ficar em paz.

Aniversário passou.
Comemorei antes e passei o dia propriamente dito da maneira como eu esperava: sem grandes badalações e sozinha.
Não que eu não tenha amigos, tenho e tenho os melhores que a vida poderia me proporcionar, mas é que eu ando completa.

Completa e leve.
Pois é, ando sentindo uma paz...

16 de março de 2014

se

Se eu tiver que escolher, eu escolho esperar.
Esperar a tempestade acalmar, a maré baixar, o barco atracar.

Se eu tiver que escolher, eu escolho esperar.
Esperar a planta nascer, o fruto amadurecer.

Não ligo. Não me importo.
Prefiro cuidar, prefiro plantar meu "pé de amor", regá-lo todos os dias.
Podar se necessário.
Lutar, se necessário.

A escolha é minha e, no fundo no fundo, já está feita.

De raízes fortes e profundas que demoram a brotar e aparecer sobre a terra, assim são meus desejos mais profundos, minhas paixões mais intensas.

Eu calo.
Eu sumo.
Só não deixo de continuar a regar.
Só não deixo de continuar.

5 de março de 2014

Avessos

E quando eu não me reconheço, quem sou eu?
Quando digo e faço coisas, quando fujo de verdades. Quem é que eu quero enganar?

E quando tenho medo, qual coragem eu mostro?
E quando sofro, qual sorriso eu exponho?


Sou o avesso. Avesso do que queria ser, avesso de onde queria estar.
Avesso.
Sou o outro lado da moeda sendo levado em consideração.
"Duplipenso"

O que eu quero, o que eu preciso e o que eu gosto.
O certo, o errado e o que eu faço. O que geralmente acaba se encaixando no meio dessa imensidão de nada que existe dentro de mim.

Confuso? Talvez.
Vou me perder pra me reencontrar.