26 de julho de 2014

Selfish

Vínculos.
O que é essa coisa de criar vínculos?

Sei lá, eu me acho tão filha da puta quando percebo que tudo é uma questão de tempo. Pra acontecer, pra esquecer.
Tudo é tempo.

Ninguém é insubstituível. Não que dê pras coisas serem exatamente da mesma forma com todos. Sei lá, só acho que com o tempo ou com a distância, pessoas, coisas situações, quase tudo deixa de fazer sentido. É só começar a deixar de lado. Aos poucos.

Será que é muita frieza da minha parte?
Não é que não dói. Dói. Sofro.
Mas eu sei que não é pra sempre. E isso alivia. É como se eu tivesse sempre alguém a me lembrar: calma, já vai passar.
Sofro menos.

Eu não faço questão daquilo que não me agrada.
Acho que talvez todos deveriam fazer isso. Seria mais simples. É mais fácil resolver os problemas assim, do que ficar discutindo em cima de algo que não tem solução.

Aprendi, à duras penas, que o passado passou. Ficou lá trás.
Claro que eu sinto saudade de algumas coisas, e que se pudesse reviveria alguns momentos, mas não dá pra mudar.
Já foi. Já era.

Tenho plena consciência de que eu não sou a melhor pessoa do universo. Muito pelo contrário, eu sei o quanto e no quê eu sou ruim.
E acho que a minha pior parte é justamente essa, de deixar ir, de não ligar. De ligar um botãozinho de indiferença, ainda que seja por alguns minutinhos.

Eu tenho essa mania de cortar. Começou a encher o saco? Corto.
A não ser que seja uma discussão sadia, algo que mude o presente. Ou o futuro.

Gosto de ser quem sou. Gosto do meu passado. Gosto ainda mais das pessoas que fazem parte disso tudo. Faço lá minhas brincadeiras escrotas, mas é sobre o passado.
É um cego fazendo piadas sobre cegos. Faço piadas de mim, sobre mim. Faço piada do que não deu certo, porque o que me resta agora é rir, até porque chorar não vai resolver absolutamente nada.

Sei lá. Me irrito fácil.
Eu nunca tive paciência.

Será que sou egoísta demais? Será que eu sou mesmo tão egoísta assim?
E mais, será que todo esse "pensar primeiro em mim" é realmente tão ruim assim?

Enquanto isso, a vida segue.