1 de setembro de 2014

Sobre setembro

Aí você toma um tapa na cara, agosto termina da pior possível.
Aí você aprende da pior maneira possível.
E então você volta pra casa, pro lugar de onde você não deveria ter saído.

Ou deveria.
Aprendi muita coisa nesse mês.
Aprendi a deixar ir, a me irritar. A não me irritar, a deletar quem não acrescenta em nada na vida.
Se bem que até com mau exemplo a gente aprende: aprende a não fazer igual.

Setembro chegou.
A constatação de que estou acima do peso desejado também.
Ah, também estou com um acúmulo de celulite. E isso está me incomodando.

Agora resta saber se eu vou levantar minha bunda da cadeira e fazer alguma coisa pra mudar tudo isso.
Um ano sem namorar (a volta em março não conta).
Tá na hora de cuidar de mim e ser feliz.

E se isso significa beber menos e correr mais, é isso que vou fazer.
Não quero me sentir a tia gorda e encalhada.
Não quero mais passar por momentos de raiva.

NÃO QUERO NUNCA MAIS TER O CARREGADOR DO CELULAR ROUBADO.
Porque olha, ontem eu quase tive um dia de fúria. Tive ganas de quebrar tudo.

Me sinto orgulhosa de não ter chorado.
Ao mesmo tempo acho que deveria ter chorado como há tempos estou precisando.

O que eu sei é: tô gorda. Tô chata.
E não quero ninguém enchendo meu saco.

Setembro trás a primavera. Que eu renasça com as flores.



Um comentário:

  1. Ê tia pri...
    De menina a mulher nesses anos todos em que te acompanho...
    Não vire a tia chata e gorda, você com certeza absoluta é muito mais do que isso.
    Sacuda a poeira de agosto e venha belíssima com as flores. Sempre.

    Abraço com carinho.

    C.

    ResponderExcluir