8 de fevereiro de 2015

Clichês e questões

Das coisas que eu sempre tive certeza: palavras têm força.
Atitudes sempre voltam. Aqui se faz, aqui se paga.
Desespero não é bom.
Ciúmes me faz mal. Ciúmes é insegurança.
Confiança é primordial.

O óbvio é a verdade mais difícil de se ver.
O que eu vejo por aí? Desespero.

Ou talvez eu só seja fria e desapegada demais.
Um dia vou tentar entender tudo isso.

Quem me conhece sabe o quanto eu sou previsível. E sabe muito bem o que esperar de mim.
Não perco meu tempo com a vida dos outros. Não perco meu tempo gastando energia com coisas e pessoas que não me acrescentam.
Ou soma ou some. My way or the highway.

Falo pouco sobre mim justamento pra não ter que ouvir sobre mim.
Não falo sobre os outros porque não quero que falem sobre mim.

A verdade sempre aparece uma hora ou outra e quem não deve não teme.
Clichês que fazem a vida ser interessante.

Acho que a minha grande questão hoje é: do que eu realmente preciso?

Não vou responder com palavras. Como eu disse ali em cima: as palavras têm uma força imensurável.
Não digo Eu te amo, não prometo coisas, não chamo ninguém de vida ou meu bem, muito menos digo algo é pra sempre.
Já vivi grandes histórias que não foram pra sempre e, ainda assim, sempre serão recordadas.

Poucas vezes estive tão bem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário