16 de novembro de 2015

Líquido

Então tá, a gente volta no mesmo ponto de onde a gente sempre parte. Ou pro ponto em que sempre volto: Relacionamentos.
Decisões. Carreira. Pessoas. Apostas.

Eu queria que alguém me desse um guia sobre como viver, como encontrar a pessoa "certa" ou um mapa. Nem precisa de GPS.
Eu sinto que estou vagando, andando em círculos.
Cansa ser só.
Cansa esperar.

Cansar apostar e ter seu coração partido.
E olha que eu nem me entreguei. Eu só dei parte das minhas expectativas. Só achei, por alguns instantes, que pudesse dar certo.

O último mês foi bem intenso. Mais até do que eu gostaria.
Não foi dessa vez, e pra ser bem sincera, acho que está bem longe de ser.

Não entendo mentiras.
Não compreendo gente que trai minha confiança. Não entra na minha cabeça...

Estou dolorida. Não pela ausência ou pelos planos, mas por saber que só estou assim porque eu baixei a guarda.

Aí a gente vai falar sobre amor. Eu odeio ouvir "Eu te amo", odeio porque eu prefiro me sentir amada de fato. Aí fico colocando na minha balança: quem em sã consciência deixa escapar um amor?
Quem não luta ao menos um pouquinho?

Amores líquidos.
Cansei de ser água escorrendo por entre os dedos...