21 de junho de 2016

Sobre eu tentar não ser clichê na madrugada. (Ou viadagem)

Sabe quando você quer muito gritar algo aos quatro cantos do mundo, mas ao mesmo tempo quer guardar algo incrivelmente bom só com você?
Tô nessas.
E tá faltando palavra.
E São Paulo ficou perto.
E não existe distância.
E tem um monte de E's.
E tem suspirinho. E tem sorriso bobo.
E tem playlist. E tem céu azul, céu nublado. E o clima não importa mais.

Tudo ficou azul, clichê, eu sei, me desculpa.


CARALHO. CARALHO.
Tá faltando palavra.
E o que me deixa mais feliz é que dessa vez eu não tô sozinha nessa história.



Clichê.
É, eu sei.
Mas ao mesmo tempo que tudo é tão óbvio, chega a ser engraçado a zona que tá por aqui.
E eu tô adorando.

"A gente se combina, a gente tem tudo a ver
Se é coisa do destino, eu já não sei te dizer"

Nenhum comentário:

Postar um comentário