7 de fevereiro de 2017

21:22

Domingo. 21:22
Este é o horário da sua última mensagem.
Depois disso optei por não responder. Embora eu continue olhando o celular e esperando uma manifestação sobrenatural.
É. Sobrenatural. Porque eu sei que você não vai me mandar mensagem.

São mais de 48h.
Um record para mim.
Ok que não falar com você não quer dizer que pense menos no assunto.
Nosso término é um assunto indigesto.

Na minha cabeça tem algumas peças que não se encaixam. É como se eu tivesse dois quebra-cabeças distintos misturados. Tenho todas as peças, mas tem muita coisa misturada. Um deles é quem você é de verdade, o outro, a parte que você demonstra. Ou tenta demonstrar.

Você (me) ama. Peça número 1 de N outras.
Você não vai fazer nada para ficar comigo. Peça número 2 de N outras.
Você tem medo. Peça 3/N.
Você até queria ficar comigo. Peça 4/N.
Você ama sua liberdade. Entenda: você gosta de estar solteira sem dever nada pra ninguém e poder conhecer, pegar, transar com quem você bem entender. 5/N.
Sua liberdade já não te faz tão feliz quanto antigamente. #pinguinwins 6/N

O que nisso tudo é verdade? O que nisso tudo é invenção da minha cabeça?

Eu fecho os olhos e lembro da nossa terça-feira perfeitinha. Eu fecho os olhos e lembro de todas as coisas boas.
Era só o começo, sabia?
É extremamente difícil ver que no final fiquei sozinha.

Malditos pronomes. Nesse emaranhado de tantos nós acabamos sem nós.

Sinto sua falta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário