19 de março de 2017

Sonhos

Hoje é mais um daqueles dias em que estou rezando pra bater a cabeça e ter uma amnésia.
Desde ontem a cabeça não para de pensar em você. Um segundo sequer.
Sonhei que você estava namorando com outra pessoa. Outra mulher.
Acordei com raiva. Raiva porque minha cabeça vive me sabotando. Acordei mal com a ideia de sequer imaginar que você um dia possa sentir por outro alguém o que você disse que sentia por mim.

Maldito inferno astral.
As coisas por aqui estão indo. Hoje perdi minhas notas fiscais que precisaria apresentar para reembolso.
Ganhei um feedback morno.

Eu preciso de férias.
Nessas horas eu sinto saudades do tempo em que estive em SP. Por que ali havia você. E você fez tudo valer a pena.
Como você consegue ser tão idiota, hein?
Eu passaria pelo inferno pra ficar com você. Eu quis ficar com você pro resto dos meus dias. Eu te dei meus sonhos, meus planos, minha vida. Te dei meu amor. Minha melhor parte. Eu sou uma pessoa incrível, e você sabe disso, porque você me conheceu na parte mais íntima. Nunca tive segredos com você.

Eu continuo olhando o celular. Esperando uma mensagem tua. Um sinal de vida. Um "E aí, você tá bem?" Mas eu sei que você não vai fazer isso, porque você acha que assim é melhor. Só que em momento algum você perguntou o que eu acho melhor.
Eu sou egoísta? Bastante. Da mesma forma que você é covarde.

Como alguém diz que ama e não quer ficar junto?
Eu não sou mais criança. Nem você. Somos duas pessoas adultas capazes de tomar decisões.
E você tomou as tuas: Você desistiu de mim.
É uma bosta eu desejar que você acorde pra vida e corra atrás disso. Porque se tem alguém que conseguiria mudar tudo isso, esse alguém é você.
Enquanto isso eu sigo engolindo meu ódio.

Eu só precisava de um pote de doce de leite. Não pelo pote. Mas por você tentando cuidar de mim.
Ou de chegar e ver minhas flores favoritas.

Continuo na tentativa de tentar te esquecer.
Sabe quando eu dizia: você é um sonho. Eu estava certa. Estava bom demais pra ser verdade. Era bom demais pra durar. Era perfeito demais pra existir.

Nenhum comentário:

Postar um comentário