15 de abril de 2017

Como é escrever no meio de uma crise de ansiedade

Boa noite.
Estou em mais uma das minhas crises de ansiedade.
Sem um telefone amigo pra ligar.
Sem uma voz pra me acalmar.
Longe de casa.
A respiração ofegante marca o compasso.
O coração acelera e a boca seca.
O estômago dói. Eu fico sem ar.
As lágrimas vão caindo.

Ninguém se importa.
Não faz diferença.

Nenhum comentário:

Postar um comentário