13 de maio de 2017

Das mensagens inspiradas

Mais do que isso: você sabe que eu amo, única e exclusivamente, você. Nessa e em todas as vidas, realidades, circunstâncias. E nada vai deter, terminar, alterar o que eu sinto. Não é presença ou ausência. Não é reciprocidade (ainda que haja). É gratuito, intenso e infinito. Amo, porque amo. Porque amar me faz melhor. Melhor ser humano, melhor profissional, melhor amiga. Melhor em todos os aspectos imagináveis. Sejam eles importantes ou não. Você é um sonho bom. Um sonho que por caso tive o prazer de viver como realidade por alguns dias. Meses. Minha melhor parte. Minha fortaleza. De todos e todas, meu maior bem querer. E por você sigo, por vezes errante, pois você me permitiu ser apenas eu mesma. E sendo eu mesma fui plena. Sou plena. Entre erros e (muito mais) acertos. Amo. Amei. Continuarei assim: amando. Que no nosso feminino e num trocadilho infame se torna (...). Não me condene pelo desejo que ainda resta em mim. Não me julgue pela vontade de te acordar todos os dias com o sexo, não pelo sexo em si, mas pelo tesão que é ter você ao meu lado. Amo. Simples assim. E ignore essa mensagem. Sei que com o cair das folhas do outono, também essas declarações não tem mais espaço. Eu só não não consigo me enganar, ou te enganar. Bato no peito. Me respeito. A vida segue. O desejo segue. Permanece. E assim tão intensamente, entre tantas palavras, entre tantas coisas, entre tanta vida, mesmo sabendo que em outros lábios você encontra outros prazeres, mesmo sabendo que em outros corpos você mata sua sede, ainda assim paro e penso: amo. Sem medo. Sem esperar que você volte.

Nenhum comentário:

Postar um comentário