5 de maio de 2017

Outra insônia

Dorme.
Acorda.
Dorme. Acorda.
Dorme. Sonha. Acorda.
Sonha. Sonha acordada.

Existe aqui uma necessidade visceral de um encontro despretensioso. Sem regras.
Só um deixa ser....

Frustrante que nada disso vá acontecer.
É uma rejeição a minha presença que marca a alma. Sabe a tal plantinha da esperança em dias melhores?  Pois é, começo a aceitar que vai ser sempre essa merda mesmo...

Perco a fé na humanidade.
Se o que antes existia de mais belo em mim era essa coisa de acreditar em melhoras e mudanças, porque eu sempre acho que as pessoas podem evoluir e mudar de opinião, essa coisa bela eu estou envenenando a cada dia. Afogando numa banheira de mágoas.

Pior do que a morte, é quando você vive sem esperanças e sem sentimentos.

Lá fora chove. Os deuses, anjos e a natureza choram por essa perda lastimável.
Aqui jaz o espírito de uma pessoa boa.
Pouco a pouco vou me livrar de todo sentimento, sejam eles bons ou ruins...

Cansei de ser o problema.
Cansei de me sentir a pior pessoa do universo. Porque eu tentei ser o meu melhor. Eu dei tudo o que eu tinha. Meus sonhos, meus planos, minha razão, meu amor, meus desejos, minha vontade de me tornar alguém melhor. Ainda assim não deu certo.
Dói. Dói pra caralho. Dói de uma forma que eu não consigo dormir, dói de uma forma que me faz sentir falta do cheiro.
Machuca porque no fim das contas o meu melhor não serviu pra absolutamente nada além das boas memórias que eu tenho.
Eu dizia que era um sonho de tão bom.
Realmente, tá doendo pra caralho ter que acordar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário