3 de maio de 2017

Sobre amor e outras

Amei duas pessoas.
Aliás amo.

Uma delas eu não tenho contato ou notícias faz um bom tempo.
Não paro minha vida por amor.  Não deixo de amar por outros amores.

Entendo o amor de forma ampla. Fluída. Diferente.
Lembrei de uma vez, muitos anos atrás, onde eu disse:
- Quando for pra casar, case-se com alguém que se preocupa em pedir sua comida sem cebola ou que se prontifique a tirar a cebola da rua comida sem você pedir.

Pequeno. Necessário. Amor é cuidado.
Tantos anos depois eu não deixei de amar. Mesmo amando outra pessoa.
Mesmo amando-a, o que na contração ficaria amanda.

Hoje tem algo diferente.
Aqui dentro tem algo diferente.
Acho que se hoje eu estivesse num mal dia seria hoje que eu faria o que muitos consideram besteira, egoísmo, fraqueza, entre tantas outras considerações que as pessoas fazem sobre suicídio.

Mas eu tô aqui pra falar de amor.
Pra falar desse sentimento estranho.
Pra dizer: amo sim. E  talvez esse amor atual e incompreensível seja a única coisa que esteja me mantendo viva hoje.

Eu não tenho problema em admitir que sinto falta. O meu problema é ser "o erro".
É isso que está me matando hoje.
Mas tudo bem. Eu sobrevivo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário