24 de julho de 2017

Cartas sobre o final de semana

Desistir de esquecer!
Mudança de opção que trouxe paz.

Acho que tem muito a ver com eu querer o impossível. Esquecer, neste caso, é.
Abrir mão de coisas que eu não consigo traz uma paz.

Ok que tô aqui com uma senhora vergonha de ter mandado mensagem bêbada... E tô num arrependimento profundo. Já foi.
Bola pra frente.

Foco agora é: juntar dinheiro. Seja pra comprar minha moto, seja pra viajar, seja pra fazer os dois. Seja pra fazer isso e muito mais.
Sábado foi aniversário da minha mãe e da Lívia, minha prima.

É engraçado como a família se surpreende e adora quando eu apareço. E como é gostoso beber com meus tios, tias, primos e primas.

Nessas horas que penso como é ruim trabalhar sábado domingo e feriado: tô perdendo os filhos das minhas primas crescendo.
Eu continuo querendo dividir coisas boas com você. Já desisti de te tratar na terceira pessoa, cada registro aqui é uma conversa comigo e com você ao mesmo tempo. Cartas pra um amor que não vai voltar. E não acho isso triste, porque considero o amor bonito, belo, sagrado.

Pode brigar. Serei fiel. Não a você, mas ao que eu sinto. E era essa a diferença, era isso que me tornava incrível: minha fidelidade a mim mesma. Eu sou meu próprio Norte.

Nenhum comentário:

Postar um comentário