1 de agosto de 2017

Cartas não enviadas

Oi, tudo bem?
Eu estou com puta medo de te machucar porque eu sei que de alguma forma você vem aqui.
A vida tá mudando.
Acho que a dica de lembrar como eu era antes de você fez muito sentido. E fez muito efeito. Parece que o encanto se acabou.
Parece que toda aquela vibe ruim foi embora. Você pediu pra eu lembrar. Eu lembrei. Lembrei que o amor que eu tenho por mim é e deve ser maior.
Lembrei de muita coisa. E de como era bom estar sozinha. De como eu estava completamente de boa comigo mesma, sabe?

Isso tudo não quer dizer que eu não te amo mais. Não é isso.
Eu só estou seguindo em frente. E nessa talvez algumas pessoas estão se aproximando, ressurgindo. Gente que eu nem imaginava que eu me daria bem.
Aliás, nesse sentido tem muita coisa confusa. Muitas perguntas. Perguntas que o tempo vai tratar de responder.

Eu vou amar outras pessoas. E isso não quer dizer que deixe de te amar. São amores distintos, entende?
Queria poder ter intimidade pra te contar das façanhas, lembra do papo de amizade? Queria te contar que eu tô feliz.
Só que eu tenho um puta medo de te machucar.

Eu queria que você não tivesse desistido de mim. Daríamos certo, por mais que você não acreditasse nisso. Ou acreditasse. Você nunca fala sobre seus sentimentos.
Eu tô seguindo. Por muito tempo eu me neguei a me mover. Na real eu afundei. Quis tanto ficar que fui cavando um buraco no chão e me enfiei. Cavei minha própria cova.

Você tem razão quando você diz que me fodeu. Fodeu mesmo. Tirou o Norte do lugar, tirou meu chão depois de me dar o céu. Mas isso não vem mais ao caso, tá tudo bem.
Agora eu tô aqui olhando pro celular e esperando uma mensagem de um certo ddd zero doze. Esperando. Uma mensagem. Uma resposta. Conversas. Esperando mais finais de semana como esse que passou.

Tô baixando as expectativas. Respirando.
E não vou sair do centro. Vou manter as coisas girando.

Só queria te pedir que se um dia você achar que ainda dá pra tentar, me procura. Estou seguindo. Fechei a porta. sem trancar, mas tá fechada. Me procura, não por mim, mas por você, porque se tem algo que eu queria que você tenha aprendido comigo é que vale a pena correr atrás do que a gente ama, do que faz a gente feliz. E você encontrar outro alguém... Que você seja feliz.


Um beijo. E até um dia.

PS: saudade pra caralho do sexo contigo. =X

Nenhum comentário:

Postar um comentário