1 de agosto de 2017

Refrão de bolero

Eu queria colocar muito sobre as coisas que estão acontecendo por aqui.
Dessa reviravolta. Dos encontros. Dos re-encontros. Das conversas. Dos sorrisos.
Queria falar sobre ansiedade. Sobre não saber direito o que está rolando. De perder minhas noites pensando se é só mais uma amizade ou se essa overdose de conversas e encontros quer dizer algo a mais.
Eu não quero perguntar. Tenho medo de quebrar esse encanto. Medo de estragar a amizade que, por enquanto, está sensacional.

Eu adoro redescobrir pessoas. Amo mudar de opinião sobre elas e me encantar. E nesse caso a (re)descoberta me traz coisas que faz tempo ando procurando...
O cuidado tem que ser no sentido daquilo que a minha terapeuta diz: keep the rest of your life going on.

Equilibrio.
Mas como equilibrar expectativas se as regras desse jogo eu ainda não aprendi?

Improvisar ou ir direto ao ponto?
Deixar acontecer ou ter iniciativa?

Essas e outras perguntas tomam o tempo que deveria ser do meu sono.
"Eu fui sincero como não se pode ser..."

Nenhum comentário:

Postar um comentário